Resenha: Rangers

Autor: John Flanagan

Editora: Fundamento

238 páginas



Durante a vida inteira, o pequeno e frágil Will sonhou em ser um forte e bravo guerreiro, como o pai, que ele nunca conheceu. Por isso, ficou arrasado quando não conseguiu entrar para a Escola de Guerra. A partir daí, sua vida tomou um rumo inesperado: ele se tornou o aprendiz de Halt, o misterioso arqueiro, que muitos acreditam ter habilidades que só podem ser resultado de alguma feitiçaria. Relutante, Will aprendeu a usar as armas secretas dos arqueiros: o arco, a flecha, uma capa manchada e... um pequeno pônei muito teimoso. Podem não ser a espada e o cavalo que ele desejava, mas foi com eles que Will e Halt partiram em uma perigosa missão: impedir o assassinato do rei. Essa será uma viagem de descobertas e aventuras fantásticas, na qual Will aprenderá que as armas dos arqueiros são muito mais valiosas do que ele imaginava.




Se eu fosse dar uma nota, daria 7.

Por quê? Bem, não foi o melhor livro que já li na vida. E, modéstia a parte, já li bastante livros na vida. Rangers – A ordem dos arqueiros é uma série de livros. Ênfase no ‘série’, até agora já foram 12 livros, e com mais para serem lançados!

A história do livro gira em torno de um órfão, que vive no feudo de Redmont (Sim, eu disse feudo. A história se passa na era medieval, em meados do século XIX). Deixe-me explicar para que você entenda melhor: Alguns órfãos são adotados pelo Barão do castelo, até que eles cresçam e estabeleçam profissões fixas (Como por exemplo, cozinheiro, ferreiro, diplomata, etc. ) O sonho desse órfão, Will é seu nome (Ele não tem sobrenome), é se tornar um cavaleiro do exército. Ele tem quase todos os requisitos para se tornar um. Quase. No dia da seleção, ele é rejeitado por causa de seu tamanho e peso. Todos os seus amigos órfãos encontram uma profissão, menos ele. É aí que entra Halt: Halt é um arqueiro real. Os arqueiros são... “Soldados” altamente treinados. Especialistas em andar sorrateiramente, e conhecidos no reino inteiro por sua sabedoria e inteligência. Halt diz alguma coisa para o Barão a respeito de Will. Este fica super curioso. De noite, ele vai até o castelo do Barão, escala os paredões, dribla os guardas, vai até a sala principal para descobrir o segredo: Halt quer que Will seja um aprendiz de arqueiro. Ele conhece Halt e começa aprender sobre como ser um arqueiro. Enquanto isso, um velho inimigo do Rei – Morgahrath – Planeja um ataque ao reino e blá blá blá. Vocês já devem imaginar que no final do livro Will é considerado um herói fodástico, que matou dois Kalcarás (São tipo uns ursos gigantes e maléficos) e mais um monte de coisa.

Isso tudo acontece no primeiro livro. (Rangers – A ordem dos arqueiros: As ruínas de Gohrlan). Se eu fosse descrever a historia de todos os doze livros, acredite, eu ficaria aqui escrevendo por uns quatro dias.

O que você precisa saber: Will evolui como aprendiz, torna-se um arqueiro, e vive várias aventuras pelo reino. Que tipo de aventuras? Ele enfrenta o exército de Morgahrath, é sequestrado por escandinavos, vira dependente químico de uma erva chamada “Erva do calor” (Ele sai dessa, fiquem tranquilos), Ele ganha o próprio feudo pra vigiar, luta contra um suposto feiticeiro, defende a guarda de um castelo cujo rei fora sabotado, enfrenta um exercito de guerreiros do norte, se perde no deserto, resgata o cara mais importante da Escandinávia. Entre outra coisas.

Claro que ele não faz isso tudo sozinho: Ele conta com ajuda de muitos amigos. Além de Halt, tem Horace (Seu melhor amigo, cavaleiro), Casssandra (Princesa de Araluen), Gilan (Ex-aprendiz de Halt), E rak (Oberjal da Escandinávia), Alyss (Sua amiga órfã e diplomata) e mais um porrada de gente.

Mas por que 7? O livro parece tão bom, não é mesmo?

Bom, para dar essa nota, tive que utilizar uns critérios.

Como disse antes, o livro tem uma história ótima. Confesso que ás vezes, me prendi em alguns livros e não conseguia parar de ler. Entretanto, em alguns livros, a história simplesmente se arrasta. Você parece ter que implorar para que a história acabe. Sem falar nas partes desnecessárias. Como assim desnecessárias? Por exemplo, o que o autor quer dizer: “Ele sentia o vento” o que o autor escreve: “O vento passava pelo braço de Will, e ele sentia como se pequenas borboletas voassem por toda extensão de seu membro, os orvalhos também emitiam uma combinação de...” Sinceramente, eu acho isso um saco.

Outra coisa: O design do livro. A letra é enorme. Se eu escrevesse a série, eu faria questão de encurtar a letra e juntar dois ou três livros em um só. Até por que, doze livros não são pro bolso de qualquer um, não é mesmo? Também acho que a editora poderia se esforçar um pouquinho mais no capricho. Algumas páginas no livro vieram amassadas, e a letra vinha praticamente ilegível.

Essa, na verdade, é minha opinião sobre o livro. Outras pessoas descreveram o livro como “Perfeito”, ou “Incrivelmente Perfeito” e outros adjetivos que não combinam tanto com a história. Não sei se estou sendo muito duro com o escritor, mas, como disse antes, a história não é ruim.
Recomendação? Eu recomendo o livro para quem está entediado, e não tem outro livro para ler. A história ate que é boa, mas não de prioridade para esse livro. Também acho que não compensa comprar o livro. Compre o livro em último recurso, antes disso, verifique se algum amigo seu tem, se há em alguma biblioteca, ou outra coisa assim.

Mais alguma coisa? Hum... Acho que não. Em resumo: Livro médio – nota 7 – Leia se não tiver mais nada pra fazer

Yasmin Duarte

5 comentários:

  1. Oie minha linda, tudo bem?
    Eu resolvi passar aqui no seu blog, porque me chamou muita atenção você ter resenhado o livro RANGERS, até porque eu sempre tive curiosidade de ler essa série, mas nunca comprei. Mas eu fiquei meia assim depois que vc disse que alguns livros são mais legais e outros nem tanto. Bom, acho que também depende muito do conteúdo também. Não sei...não posso falar muita coisa, até porque eu nunca li.
    Mas eu gostei bastante da sua resenha e fiquei interessada em saber mais sobre os outros livros.
    Enfim...
    Olha linda, estou seguindo o seu blog, poderia seguir o meu também?
    E se puder curte minha fanpage =]
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi flor... então esse estilo de leitura não faz muito o meu tipo... MAs gostei de sua resenha sincera e o seu real ponto de vista sem receio... Gosto disso... Acredito que depende mesmo da impressão de cada leitor há uns que gostam, outros nem tanto, uns são indiferentes e outros mais ou menos. Mas enfim. Xero!!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir